Lesão da cartilagem

A lesão da certilagem do joelho é um tema muito atual e interessante . A cartilagem do joelho é uma fina camada de tecido especializado que permite a movimentação suave entre os ossos . No joelho , temos a movimentação entre o fêmur e a tíbia e também a movimentação entre o fêmur e a patela. Quando a cartilagem está normal , o movimento se dá de forma suave , sem travamentos, sem dor , sem barulhos. Quando existe um dano à cartilagem , a pessoa pode reclamar de dificuldade para executar determinado movimento , como agachar ou como subir uma escada. Também nesta situação de cartilagem danificada ,podem aparecer a dor , o inchaço , a limitação do arco de movimento .

Quando falamos que uma articulação tem um desgaste mais generalizado de cartilagem , mais difuso , queremos caracterizar uma artrose , osteoartrose ou osteoartrite degenerativa . Em outra página , descrevo a artrose do joelho de forma mais detalhada , explicando as possibilidades de tratamento . Neste momento , vou atentar mais para as lesões de cartilagem focais ou isoladas , como mostra a figura abaixo .

Quando nos deparamos com uma lesão isolada da cartilagem, diversas opções de tratamento estão disponíveis, dependendo do paciente , do tamanho da lesão , da localização da lesão , das atividades que o paciente faz , entre outros fatores que o médico vai levar em conta para decidir.

As medidas conservadoras ou não-cirúrgicas incluem :

  • repouso
  • mudança de atividade física
  • emagrecimento
  • fortalecimento muscular
  • medicamentos para a , entre eles : colágeno , condroitina e glicosamina, diac ereínica , piascledine

Quando o tratamento conservador falha ou o tratamento cirúrgico foi definido desde o início , entre os métodos disponíveis destacamos:

  • desbridamento articular artroscópico : nesta modalidade , podemos ” alisar” a cartilagem que está irregular , usando aparelhos chamados shavers ou radiofrequência . Pequenos fragmentos de cartilagem que estejam soltos ou instáveis são removidos.
  • microfratura : nestá técnica , no local do defeito da cartilagem , realizamos pequenas perfurações ósseas . Desta forma há um sangramento neste local e formação de um tecido cicatricial parecido com cartilagem , como mostra a ilustração abaixo.
Perfuração óssea causando sagramento e formação de ” nova cartilagem ”
  • mosaicoplastia ou transplante autólogo osteocondral :

a mosaicoplastia é uma técnica na qual as lesões da cartilagem (‘condral’) e as lesões ósseas e da cartilagem (‘osteocondral’) são reparadas pela pela transferência de um plug osteocondral de uma área saudável ( área doadora ) para a área lesada ( área receptora )

A cartilagem hialina transplantada é capaz de sobreviver e produzir uma superfície mais durável do que o tecido fibroso de reparo que se formaria se a cartilagem defeituosa tivesse sido deixada para curar sozinha.

O reparo da área doadora através de um processo naturail de cura. Os túneis ficam cheios de osso esponjoso e a superfície é coberta com fibrocartilagem constituída por células derivadas da medula.

Mosaicoplastia ; retiramos um plug de uma área saudável para colocar numa área com cartilagem danificada

A implantação dos enxertos em forma de mosaico permite o preenchimento eficaz de pequenos e médios defeitos localizados .. A mosaicoplastia garante bons resultados na maioria dos casos, e os achados de artroscopias  e avaliações laboratoriais confirmam o que foi observado clinicamente em pacientes que fizeram o procedimento.

Lesões focais simples de tamanho pequeno dos côndilos femorais ( 2 a 4 cm ) são a principal indicação para procedimentos de mosaicoplastia; no entanto, defeitos nas superfícies tibial, patelar e troclear também podem ser tratados com enxerto osteocondral. Além dos defeitos osteocondrais do joelho, uma indicação frequente para a mosaicoplastia são as lesões do tálus.

  • Implante de colágeno artificial : neste tratamento reparamos a lesão da cartilagem com um produto sintético , como o CaReS®-1S . Retiramos uma área de cartilagem danificada e implantamos uma matriz densa de colágeno nativo tipo I na região após um preparo adequado . O produto preenche a lesão do joelho com uma estrutura matricial, permitindo a regeneração de células autólogas no local. A consistência do produto é semelhante a um gel e permite uma cobertura adequada e reconstrução rápida da superfície articular. Tem a vantagem de ser uma técnica de fácil execução , semelhante à mosaicoplastia, sem a necessidade de retirar um enxerto e de ser mais fácil preenchimento .
Área lesada coberta com uma membrana de colágeno

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *